Pergunte Ao Gringo: Como acelerar o meu aprendizado de inglês?

Olá, hello

How are you? Como você está?

Hoje eu estou aqui para responder mais uma pergunta de vocês e, dessa vez, sobre um assunto muito técnico, do qual sou questionado diariamente e adoro compartilhar meu conhecimento.

Eu fico muito feliz toda vez que recebo perguntas e, mais realizado ainda em poder responde-las. Quando eu recebo mensagens de carinho e gratidão, quando vejo que muita gente confia no meu trabalho e no meu método de ensino, faz tudo valer a pena.

A minha função aqui, é te ajudar a aprender inglês de modo fácil, divertido e especialmente rápido.

E quando falo em “especialmente rápido”, tenho muito a dizer sobre a pergunta que recebi e resolvi trazer para o blog hoje. Essa não é a dúvida especifica de um aluno, é uma dúvida constante, que respondo todos os dias para pessoas diferentes.

Você pode até achar que o “inglês rápido” não existe, que essa é apenas uma tentativa de te convencer. Mas eu sou a prova viva de que é possível se tornar fluente em outro idioma em um curto espaço de tempo, sem gastar horrores em material de apoio durante anos.

Em meu curso, já tive caso de alunos que se dedicaram em alto nível e conseguiram atingir a fluência em apenas 6 semanas.

Mas não pense que eles já tinham alguma base de inglês. Vi alunos que não tinham nenhum conhecimento do idioma dominarem o assunto rapidamente.

É claro, um resultado tão imediato quanto a fluência em apenas 6 semanas, exige uma rotina de estudos extremamente rigorosa, chegando a no mínimo 8h de imersão por dia.

Porém, se você não dispõe desse tempo, não desanime. A maioria das pessoas precisam correr o dia inteiro de um lado para o outro e acabam deixando o inglês de lado. Por isso, eu estou aqui, para te ajudar a seguir sua nova jornada e alcançar o seu melhor.

Sendo assim, é bom que você confira outros tópicos que eu já abordei aqui no blog, eles poderão te ajudar a manter o seu objetivo claro e acelerar seu processo de aprendizado.

Take a look, dá uma olhada:

Se você conferir todas essas dicas com bastante atenção, com certeza o caminho para a fluência será mais fácil daqui para frente.

Bom, falando em fluência, todo esse assunto está drasticamente ligado a pergunta que eu vou responder hoje no Pergunte Ao Gringo.

Let´s go? Vamos lá?

A pergunta escolhida para hoje, é da minha leitora Tatiane Mazete, com um tema bem legal que eu vou adorar responder. Confira abaixo:

Olá, boa noite! Já tenho um nível de inglês up intermediate, ou dependendo do tipo de avaliação, advanced. Mas trabalho em uma multinacional com vários colegas que não falam português, ou seja, de fato preciso ter o tipo de fluência que me permita falar desde cogumelos da Amazônia até crises políticas do século 21…em suma, preciso saber conversar com tranquilidade com nativos sobre tudo o que envolve nossas atividades, principalmente conduzindo reuniões e apresentações…este curso é recomendado para mim? Qual a sua “dica” para otimizar minha chegada a este resultado?

Bom, Tatiane. Vamos por pontos ok?

A primeira coisa que eu tenho para te dizer é: não desanime, você já tem uma boa base e tende a alcançar o que deseja com ainda mais maestria. Qual é o segredo de tudo isso? A sua motivação. Por isso é tão importante que você continue buscando conhecimento.

Agora, vamos avaliar o seu caso.

Você já tem conhecimento na língua inglesa e, pelo que relatou, já está em imersão, tendo contato diário com outro idioma através dos seus colegas de trabalho que não falam português. ISSO É ÓTIMO!!!

Com base nisso, irei te explicar o porquê a metodologia convencional não te levou ao inglês dos sonhos.

Excesso de conteúdo e falta de prática

Nos cursinhos de inglês tradicionais, é muito comum você encontrar pessoas que compartilham da ideologia de que os resultados vão surtir através dos anos preso dentro de uma sala da aula estudando o idioma.

ERRADO!!!!

Eu e meus alunos somos a maior prova de que esse não é o único caminho. Muito menos o mais viável. Eu consegui ficar fluente em português enquanto morava em outro país que não falava português, pode acreditar. Eu levei apenas 4 meses nesse processo e após esse período, eu já estava preparado para estabelecer qualquer tipo de diálogo.

Eu até tentei aprender o português de forma tradicional, mas foi muito pior do que eu imaginava.

A partir disso, desisti, fui para casa e comecei meus estudos independentes. Elaborei um método que se encaixava no meu dia a dia e na minha realidade. Aí está o ponto que eu acredito que possa te prejudicar.

Quando optamos por um cursinho de inglês, não há um método que se adapte à nossa rotina, a nossa realidade. Em um curso tradicional, você deverá se adaptar, incluir 1 ou 2 dias de estudos na sua rotina para tentar adquirir a fluência nos próximos 2 anos, no mínimo. Isso não faz sentido algum, é uma bomba de desmotivação logo de cara.

Acreditar que precisamos de anos para adquirir uma fluência real em inglês, é um erro (e um erro bem comum, por sinal). O excesso de teoria nos tira o foco do que realmente é importante nesse processo de aprendizagem.

Por isso, na minha opinião, voltar para um cursinho de inglês tradicional, não é a saída para o caminho que você busca.

Em meu curso, eu aplico constantemente a lei dos paretos. Que revela a informação de que você precisa conhecer apenas 20% do vocabulário e regras gramaticas para ter domínio do inglês usado no dia a dia.

É como no português, você não tem ciência de todas as regras e palavras, mas consegue se comunicar perfeitamente e expressar tudo que deseja.

Em função disso, eu sempre indico para os meus alunos falarem e praticarem diariamente, o que eu acredito que você já faça no trabalho, através da imersão com colegas que não falam português. Só a prática e a instrução correta poderão te fazer perceber a evolução e te motivar a continuar evoluindo sempre.

Como você já tem uma ótima base no inglês, o processo se tornará muito mais fácil.

Bom, Tatiane. Espero ter ajudado a esclarecer sua dúvida. E que esse post possa auxiliar as pessoas que tinham o mesmo dilema que você.

Abraços e até mais… See you!