Aprender inglês com vídeos # Importância da música para crianças

Olá, hello…

Hoje é dia de aprender inglês em mais um dos vídeos muito bons do TED. Dá uma olhada…

Chris Anderson: Let’s now see the extraordinary speech that we captured a couple weeks ago.

Jose Antonio Abreu: My dear friends, ladies and gentlemen, I am overjoyed today at being awarded the TED Prize on behalf of all the distinguished music teachers, artists and educators from Venezuela who have selflessly and loyally accompanied me for 35 years in founding, growing and developing in Venezuela the National System of Youth and Children’s Orchestras and Choirs.

Since I was a boy, in my early childhood, I always wanted to be a musician, and, thank God, I made it. From my teachers, my family and my community, I had all the necessary support to become a musician. All my life I’ve dreamed that all Venezuelan children have the same opportunity that I had. From that desire and from my heart stemmed the idea to make music a deep and global reality for my country.

From the very first rehearsal, I saw the bright future ahead. because the rehearsal meant a great challenge to me. I had received a donation of 50 music stands to be used by 100 boys in that rehearsal. When I arrived at the rehearsal, only 11 kids had shown up, and I said to myself, “Do I close the program or multiply these kids?” I decided to face the challenge, and on that same night, I promised those 11 children I’d turn our orchestra into one of the leading orchestras in the world. Two months ago, I remembered that promise I made, when a distinguished English critic published an article in the London Times, asking who could be the winner of the Orchestra World Cup. He mentioned four great world orchestras, and the fifth one was Venezuela’s Youth Symphony Orchestra. Today we can say that art in Latin America is no longer a monopoly of elites and that it has become a social right, a right for all the people.

Child: There is no difference here between classes, nor white or black, if you have money or not. Simply, if you are talented, if you have the vocation and the will to be here you get in, you share with us and make music.

JA: During the recent tour by the Simon Bolivar Youth Orchestra of Venezuela of U.S. and Europe we saw how our music moved young audiences to the bottom of their souls, how children and adolescents rushed up to the stage to receive the jackets from our musicians, how the standing ovations, sometimes 30 minutes long, seemed to last forever, and how the public, after the concert was over, went out into the street to greet our young people in triumph. This meant not only an artistic triumph, but also a profound emotional sympathy between the public of the most advanced nations of the world and the musical youth of Latin America, as seen in Venezuela, giving these audiences a message of music, vitality, energy, enthusiasm and strength.

In its essence, the orchestra and the choir are much more than artistic structures. They are examples and schools of social life, because to sing and to play together means to intimately coexist toward perfection and excellence, following a strict discipline of organization and coordination in order to seek the harmonic interdependence of voices and instruments. That’s how they build a spirit of solidarity and fraternity among them, develop their self-esteem and foster the ethical and aesthetical values related to the music in all its senses. This is why music is immensely important in the awakening of sensibility, in the forging of values and in the training of youngsters to teach other kids.

Child: After all this time here, music is life. Nothing else. Music is life.

JA: Each teenager and child in El Sistema has his own story, and they are all important and of great significance to me. Let me mention the case of Edicson Ruiz. He is a boy from a parish in Caracas who passionately attended to his double bass lessons at the San Agustin’s Junior Orchestra. With his effort, and the support of his mother, his family and his community, he became a principal member in the double bass segment of the Berlin Philharmonic Orchestra. We have another well-known case — Gustavo Dudamel. He started as a boy member of the children’s orchestra in his hometown, Barquisimeto. There, he grew as a violinist and as a conductor. He became the conductor of Venezuela’s junior orchestras, and today conducts the world’s greatest orchestras. He is the musical director of Los Angeles Philharmonic, and is still the overall leader of Venezuela’s junior orchestras. He was the conductor of the Gothenburg Symphony Orchestra, and he’s an unbeatable example for young musicians in Latin America and the world.

The structure of El Sistema is based on a new and flexible managing style adapted to the features of each community and region, and today attends to 300,000 children of the lower and middle class all over Venezuela. It’s a program of social rescue and deep cultural transformation designed to the whole Venezuelan society with absolutely no distinctions whatsoever, but emphasizing on the vulnerable and endangered social groups.

The effect of El Sistema is felt in three fundamental circles — in the personal/social circle, in the family circle and in the community. In the personal/social circle, the children in the orchestras and choirs develop their intellectual and emotional side. The music becomes a source for developing the dimensions of the human being, thus elevating the spirit and leading man to a full development of his personality. So, the emotional and intellectual profits are huge — the acquisition of leadership, teaching and training principles, the sense of commitment, responsibility, generosity and dedication to others, and the individual contribution to achieve great collective goals. All this leads to the development of self-esteem and confidence.

Mother Teresa of Calcutta insisted on something that always impressed me — the most miserable and tragic thing about poverty is not the lack of bread or roof, but the feeling of being no-one, the feeling of not being anyone, the lack of identification, the lack of public esteem. That’s why the child’s development in the orchestra and the choir provides him with a noble identity and makes him a role model for his family and community. It makes him a better student at school because it inspires in him a sense of responsibility, perseverance and punctuality that will greatly help him at school.

Within the family, the parents’ support is unconditional. The child becomes a role model for both his parents, and this is very important for a poor child. Once the child discovers he is important for his family, he begins to seek new ways of improving himself and hopes better for himself and his community. Also, he hopes for social and economic improvements for his own family. All this makes up a constructive and ascending social dynamic. The large majority of our children belong, as I already mentioned, to the most vulnerable strata of the Venezuelan population. That encourages them to embrace new dreams, new goals, and progress in the various opportunities that music has to offer.

Finally, in the circle of the community, the orchestras prove to be the creative spaces of culture and sources of exchange and new meanings. The spontaneity music has excludes it as a luxury item and makes it a patrimony of society. It’s what makes a child play a violin at home, while his father works in his carpentry. It’s what makes a little girl play the clarinet at home, while her mother does the housework. The idea is that the families join with pride and joy in the activities of the orchestras and the choirs their children belong to. The huge spiritual world that music produces in itself, which also lies within itself, ends up overcoming material poverty. From the minute a child’s taught how to play an instrument, he’s no longer poor. He becomes a child in progress heading for a professional level, who’ll later become a full citizen. Needless to say that music is the number one prevention against prostitution, violence, bad habits, and everything degrading in the life of a child.

A few years ago, historian Arnold Toynbee said that the world was suffering a huge spiritual crisis. Not an economic or social crisis, but a spiritual one. I believe that to confront such a crisis, only art and religion can give proper answers to humanity, to mankind’s deepest aspirations, and to the historic demands of our times. Education being the synthesis of wisdom and knowledge, it’s the means to strive for a more perfect, more aware more noble and more just society.

With passion and enthusiasm we pay profound respects to TED for its outstanding humanism, the scope of its principles, for its open and generous promotion of young values. We hope that TED can contribute in a full and fundamental way to the building of this new era in the teaching of music, in which the social, communal, spiritual and vindicatory aims of the child and the adolescent become a beacon and a goal for a vast social mission. No longer putting society at the service of art, and much less at the services of monopolies of the elite, but instead art at the service of society, at the service of the weakest, at the service of the children, at the service of the sick, at the service of the vulnerable, and at the service of all those who cry for vindication through the spirit of their human condition and the raising up of their dignity.

Chris Anderson: Vamos agora ver o discurso extraordinário que gravamos há algumas semanas.

(Música)

José Antonio Abreu: meus queridos amigos, senhoras e senhores, hoje tenho muito prazer em receber o Prêmio TED em nome de todos os professores de música, artistas e educadores da Venezuela que me acompanharam desinteressadamente e lealmente durante 35 anos na fundação, crescimento e desenvolvendo na Venezuela do Sistema Nacional de Orquestras e Coros de Jovens e Crianças.

Desde que eu era menino, na minha infância, sempre quis ser músico e, graças a Deus, eu fiz isso. Dos meus professores, minha família e minha comunidade, eu tinha todo o apoio necessário para se tornar um músico. Toda a minha vida sonhei que todas as crianças venezuelanas teriam a mesma oportunidade que eu tive. A partir desse desejo e do meu coração surgiu a ideia de fazer da música uma realidade profunda e global para o meu país.

Desde o primeiro ensaio, vi o futuro brilhante à frente. Porque o ensaio significou um grande desafio para mim. Eu recebi uma doação de 50 stands de música para ser usado por 100 meninos nesse ensaio. Quando cheguei ao ensaio, apenas 11 crianças haviam aparecido, e eu disse a mim mesmo: “Fecho o programa ou multiplico essas crianças?” Eu decidi enfrentar o desafio, e naquela mesma noite, prometi a esses 11 filhos que eu transformaria nossa orquestra em uma das principais orquestras do mundo. Dois meses atrás, lembrei-me da promessa que fiz, quando um ilustre crítico inglês publicou um artigo no London Times, perguntando quem poderia ser o vencedor da Copa do Mundo da Orquestra. Ele mencionou quatro grandes orquestras do mundo, e a quinta foi a Orquestra Sinfônica da Juventude da Venezuela. Hoje podemos dizer que a arte na América Latina não é mais o monopólio das elites e que se tornou um direito social, um direito para todas as pessoas.

Criança: não há diferença aqui entre aulas, nem branco ou preto, se você tiver dinheiro ou não. Simplesmente, se você é talentoso, se você tiver a vocação e a vontade de estar aqui, entre, você compartilha conosco e faz música.

JA: Durante a recente turnê da Orquestra Juvenil Simón Bolívar da Venezuela dos EUA e da Europa, vimos como a nossa música moveu o público jovem no fundo de suas almas, como crianças e adolescentes subiram ao palco para receber os casacos de nossos músicos, como as ovações de pé, às vezes 30 minutos de duração, pareciam durar para sempre, e como o público, depois do final do concerto, saiu na rua para cumprimentar os nossos jovens em triunfo. Isso significou não só um triunfo artístico, mas também uma profunda simpatia emocional entre o público das nações mais avançadas do mundo e a juventude musical da América Latina, como visto na Venezuela, dando a esses públicos uma mensagem de música, vitalidade, energia, entusiasmo e força.

Na essência, a orquestra e o coro são muito mais do que estruturas artísticas. São exemplos e escolas da vida social, porque cantar e tocar juntos significa coexistir intimamente com a perfeição e a excelência, seguindo uma estrita disciplina de organização e coordenação para buscar a interdependência harmônica de vozes e instrumentos. É assim que eles criam um espírito de solidariedade e fraternidade entre eles, desenvolvem sua auto-estima e promovem os valores éticos e estéticos relacionados à música em todos os seus sentidos. É por isso que a música é imensamente importante no despertar da sensibilidade, na forja de valores e no treinamento de jovens para ensinar outras crianças.

Criança: depois de todo esse tempo aqui, a música é vida. Nada mais. Música é vida.

JA: Cada adolescente e criança em El Sistema tem sua própria história, e eles são todos importantes e de grande significado para mim. Deixe-me mencionar o caso de Edicson Ruiz. Ele é um garoto de uma paróquia em Caracas que apaixonadamente atendeu suas aulas de contrabaixo na Orquestra Júnior de San Agustin. Com seu esforço e o apoio de sua mãe, sua família e sua comunidade, ele se tornou um membro principal no segmento de contrabaixo da Orquestra Filarmônica de Berlim. Temos outro caso bem conhecido: Gustavo Dudamel. Ele começou como um menino membro da orquestra infantil em sua cidade natal, Barquisimeto. Lá, ele cresceu como violinista e como maestro. Ele se tornou o maestro das orquestras júnior da Venezuela e hoje conduz as maiores orquestras do mundo. Ele é o diretor musical da Filarmônica de Los Angeles, e ainda é o líder geral das orquestras júnior da Venezuela. Ele foi o maestro da Orquestra Sinfônica de Gotemburgo, e ele é um exemplo imbatível para jovens músicos da América Latina e do mundo.

A estrutura do sistema é baseada em um estilo de gerenciamento novo e flexível, adaptado às características de cada comunidade e região, e hoje atende a 300 mil crianças da classe baixa e média em toda a Venezuela. É um programa de resgate social e profunda transformação cultural destinado a toda a sociedade venezuelana sem absolutamente nenhuma distinção, mas enfatizando os grupos sociais vulneráveis ​​e ameaçados.

O efeito de El Sistema é sentido em três círculos fundamentais – no círculo pessoal / social, no círculo familiar e na comunidade. No círculo pessoal / social, as crianças nas orquestras e coros desenvolvem seu lado intelectual e emocional. A música torna-se uma fonte para desenvolver as dimensões do ser humano, elevando assim o espírito e liderando o homem para o pleno desenvolvimento de sua personalidade. Assim, os lucros emocionais e intelectuais são enormes – a aquisição de princípios de liderança, ensino e treinamento, o sentimento de compromisso, responsabilidade, generosidade e dedicação aos outros e a contribuição individual para alcançar grandes objetivos coletivos. Tudo isso leva ao desenvolvimento da auto-estima e da confiança.

A Madre Teresa de Calcutá insistiu em algo que sempre me impressionou – a coisa mais miserável e trágica sobre a pobreza não é a falta de pão ou telhado, mas a sensação de não ser ninguém, a sensação de não ser ninguém, a falta de identificação, a falta de estima pública. É por isso que o desenvolvimento da criança na orquestra e no coro lhe proporciona uma identidade nobre e o torna um modelo para sua família e comunidade. Isso o torna um aluno melhor na escola porque inspira nele um senso de responsabilidade, perseverança e pontualidade que o ajudarão na escola.

Dentro da família, o apoio dos pais é incondicional. A criança torna-se um modelo para ambos os pais, e isso é muito importante para uma criança pobre. Uma vez que a criança descobre que ele é importante para sua família, ele começa a buscar novas maneiras de melhorar a si mesmo e espera melhor para ele e sua comunidade. Além disso, ele espera melhorias sociais e econômicas para sua própria família. Tudo isso compõe uma dinâmica social construtiva e ascendente. A grande maioria dos nossos filhos pertence, como já mencionei, aos estratos mais vulneráveis ​​da população venezuelana. Isso os encoraja a abraçar novos sonhos, novos objetivos e progresso nas várias oportunidades que a música tem para oferecer.

Finalmente, no círculo da comunidade, as orquestras revelam-se os espaços criativos de cultura e fontes de troca e novos significados. A música de espontaneidade o exclui como um item de luxo e o torna um patrimônio da sociedade. É o que faz uma criança tocar um violino em casa, enquanto o pai trabalha em sua carpintaria. É o que faz uma menina tocar o clarinete em casa, enquanto a mãe faz o trabalho doméstico. A idéia é que as famílias se juntem com orgulho e alegria nas atividades das orquestras e os coros de seus filhos pertencem. O enorme mundo espiritual que a música produz em si mesmo, que também está dentro de si, acaba por superar a pobreza material. A partir do minuto em que uma criança ensinou a tocar um instrumento, ele não é mais pobre. Ele se torna um filho em progresso em direção a um nível profissional, que mais tarde se tornará um cidadão completo. Escusado será dizer que a música é a prevenção número um contra a prostituição, a violência, os maus hábitos e tudo o que se degrada na vida de uma criança.

Alguns anos atrás, o historiador Arnold Toynbee disse que o mundo estava sofrendo uma enorme crise espiritual. Não é uma crise econômica ou social, mas espiritual. Eu acredito que, para enfrentar essa crise, apenas a arte e a religião podem dar respostas adequadas à humanidade, às mais profundas aspirações da humanidade e às exigências históricas dos nossos tempos. A educação é a síntese da sabedoria e do conhecimento, é o meio de se esforçar para uma sociedade mais perfeita e mais consciente, mais nobre e mais justa.

Com paixão e entusiasmo, respeitamos profundamente o TED pelo seu excepcional humanismo, o alcance de seus princípios, pela sua abertura e generosa promoção de valores jovens. Esperamos que a TED possa contribuir de forma plena e fundamental para a construção desta nova era no ensino da música, em que os objetivos sociais, comunitários, espirituais e vindicadores da criança e do adolescente se tornam um farol e um objetivo para um vasta missão social. Não deixando de colocar a sociedade ao serviço da arte e muito menos aos serviços dos monopólios da elite, mas sim a arte a serviço da sociedade, ao serviço dos mais fracos, ao serviço das crianças, ao serviço da doente, ao serviço dos vulneráveis ​​e ao serviço de todos aqueles que clamam pela reivindicação pelo espírito de sua condição humana e pelo aumento de sua dignidade