Aprender Inglês Rapido – Quanto Tempo Leva Para Ficar Fluente

Hello, how are you today?

Como você está hoje?

Espero que você esteja muito bem! Pois eu estou ótimo e super empolgado com o post de hoje…

Sabe o motivo dessa minha empolgação? Pois vou responder uma dúvida muito comum entre as pessoas que converso e que estão estudando inglês…

Você já deve ter tido o seu “momento não aguento mais”, aposto! O que eu quero dizer com isso?

Aquele momento em que você acha que já estudou um monte todas as regras do inglês, mas que no fim não conseguiu aprender tudo que deveria e se sentiu super desanimado com isso, não?

Bom, se isso ainda não aconteceu, é bem provável que aconteça (principalmente se você está estudando do jeito errado).

Nessas situações, eu gosto de lembrar uma história de quando aprendi português… Além do inglês e do português, eu falo mais 3 línguas, totalizando 5 idiomas em que eu sou fluente.

Vendo esse fato você deve achar que eu sou um mestre, um crânio para aprender novos idiomas. Claro que, por já ter aprendido vários, eu tenho mais facilidade do que outras pessoas… Mas, pode ter certeza que eu só consegui chegar na fluência desses 5 idiomas pois aprendi o método certo de aprendizado, que me ajuda a ficar fluente muito rápido.

Quando aprendi português, comecei estudando de um jeito tradicional, indo em sala de aula e etc, etc… Pode ser que isso para algumas pessoas funcionam, mas, com certeza eu não faço parte desse grupo.

Estava com dificuldades de aprender a falar português e ficando de saco cheio de estudar aquele idioma… Inclusive saco cheio foi a primeira coisa que eu aprendi a falar em português, para vocês terem noção de como eu estava.

Porém, quando já estava quase desistindo, percebi que eu precisava mudar a forma como eu estava aprendendo o português. Precisava tornar aquilo algo mais fácil, divertido e prazeroso. Só assim eu conseguiria atingir minha fluência de forma rápida.

E foi o que eu fiz…. E é isso também que compartilho com você todos os dias no meu blog, em cada um dos posts que faço, e também nos meus cursos e qualquer outro conteúdo.

Compartilho dicas que deram certo pra mim, e que todos os dias eu vejo dando certo para milhares de brasileiros. Então, se dá certo para eles, não tem motivo para não dar certo com você. Concorda comigo?

Então, quer estudar inglês de forma divertida? Dá uma olhadinha nesses posts que eu separei para você:

Só nesses posts já tem várias formas bacanas de estudar inglês de uma forma divertida e prazerosa. Mas, se você der mais uma olhadinha no blog, vai achar outros posts muito legais falando sobre o mesmo assunto.

Bom, dito isso, você quer saber qual é a dúvida que eu vou responder hoje?

Vou te falar: Quanto tempo alguém demora para ficar fluente em inglês?

Minha resposta é: depende! Depende de muitas coisas…

Depende da metodologia, como citei antes, depende da facilidade dessa pessoa em aprender um novo idioma, do quanto ela já sabe de inglês antes de começar a estudá-lo, do quanto ela pratica diariamente, enfim… são muitos critérios que definem o tempo de aprendizado.

Inclusive, depende até do seu autoconhecimento.

Mas vou te falar melhor sobre cada um desses pontos…

Só que antes disso, precisamos definir o que é fluência. Afinal de contas, tem muitas pessoas com visões diferentes sobre o que é fluência para cada uma delas…

Para alguns, ser fluente é ter total domínio de todas as regras gramaticas, por exemplo, ou então falar perfeitamente bem algum idioma.

Para mim, e fluência, ou ser fluente em algum idioma, significa que a pessoa consegue se comunicar com outras pessoas, assistir um filme ou até mesmo ler um texto em inglês. 

Pode ser que nesse texto, conversa ou filme, você se depare com alguma palavra que não conhece, que não sabe a tradução. Porém, isso não chega a ser um problema, pois você conseguiu entender a mensagem que quer ser passada para você.

Sendo assim, ser fluente e ter capacidade para se relacionar com outras pessoas ou coisas no idioma em questão, no nosso caso, o inglês.

Aí você pode me perguntar, mas não preciso saber muito bem as regras gramaticas e como usar os vocabulários para ser considerado fluente em inglês?

Bom, se você fizer essa pergunta para mim, vou te responder com outra pergunta: Como brasileiro, você se considera fluente em português? Aposto que a resposta é sim!

E agora te faço uma segunda pergunta: você sabe e cumpre todas as regras gramaticais em português? Aposto que não!

Então, o mesmo acontece com o inglês. Quebre a crença na sua mente de que você precisa estudar gramática primeiro para depois ser fluente em inglês. Foque cada vez mais na prática e perceberá que aos poucos até mesmo estudar gramática vai ficar mais fácil.

Sendo assim, agora que definimos o conceito de fluência que estamos falando aqui, vou falar para você quais são os pontos que no meu ponto de vista interferem na quantidade de tempo que você irá demorar para ficar fluente em inglês.

Quanto você sabe de inglês?

O primeiro ponto do passo a passo da fluência no inglês é o quanto você sabe hoje do idioma. Você pode até achar que não sabe nada, mas se parar para pensar um pouquinho perceberá que pode não ser bem assim….

Os brasileiros crescem ouvindo música em inglês, palavras em inglês que são usadas cotidianamente no vocabulário brasileiro, filmes americanos… Enfim!

Algum contato com o idioma você já teve. Porém, o que diferencia os alunos, é que alguns tiveram mais contato e outros menos. Outro ponto que influencia também é o quanto esses que tiveram pouco contato prestaram atenção na letra da música ou no listening enquanto via uma série ou filme.

E o ponto de partida para começar a falar inglês e que irá influenciar no tempo final de aprendizado, é o quanto você já teve contato com o inglês. Quanto mais contato, mais rápido o aprendizado.

Tempo de dedicação ao inglês

E quando estou falando de tempo, não estou falando apenas de separar uma hora por dia para você estudar inglês, por exemplo. Isso é um método antigo de se estudar, como irei falar na parte de metodologia aqui nesse post.

O tempo que estou citando aqui está diretamente relacionado ao seu envolvimento diário com o idioma. Pode ser lendo um jornal durante o café da manhã, escutando uma música em inglês no trabalho, ou vendo um filme sem legenda e somente áudio em inglês no final de semana.

Todas essas atividades são momentos em que você está tendo contato com o inglês. E, se você tem pouco tempo para estudar inglês, sugiro a leitura desses dois posts que falam exatamente sobre esse assunto:

Esses posts vão te ajudar a ver como você pode inserir o inglês no seu dia a dia e, claro, atingir a fluência de uma forma mais rápida e fácil.

Metodologia de ensino

Você já teve algum amigo que ficou meses ou até mesmo semanas em um país que a língua inglesa é a nativa e voltou falando mais do que você que passou anos estudando inglês?

Eu já vi isso acontecendo várias vezes. E vou te contar uma coisa: você não precisa viajar para que o mesmo aconteça com você!

Isso mesmo, você não precisa viajar e passar por todos os perrengues possíveis lá fora apenas por não saber falar inglês.

Essa facilidade em aprender inglês em outro país acontece pois, quem está lá, acaba mergulhando no idioma. Para conversar com alguém é em inglês, fazer compras em inglês, pedir informações em inglês, voz do metrô em inglês… e por aí vai!

E, o que te impede hoje de fazer com que o inglês também esteja presente no seu dia a dia? Ouvindo uma música em inglês, lendo notícias em inglês e quem sabe até montando um grupo para conversar e compartilhar estratégias simples de conversação 

Nesse post eu te falei sobre “Como Falar Inglês Rápido – Aprenda Fácil”, e você vai ver que uma das estratégias é exatamente essa, aumentar o seu contato com o inglês.

Essa forma de estudar em inglês, vai completamente contra a forma como muitos brasileiros aprenderam e continuam aprendendo inglês. Aquele método em que o aluno tem que passar anos estudando inglês e todas as suas regras gramaticais, para só depois disso começar a praticar e quem sabe até falar depois de um bom tempo…

Essa forma é antiga e não é a ideal para você que busca a fluência que comentei aqui, a de alguém que consegue se comunicar no idioma citado.

Não tenha medo de praticar, de falar com o nativo e praticar o seu inglês.

Outra coisa muito importante em relação ao método de aprendizado, é se você traduz ou não o que o outro está falando na sua mente.

Se você ouvir o outro falando em inglês, você traduzir para o português e depois devolver em inglês, isso acaba atrasando não só a sua fala, como também a sua fluência. Afinal de contas, o ideal é que inclusive você pense em inglês.

Qualidade do professor

Pois é, até isso influencia no tempo em que você irá demorar para aprender. E, além da didática do professor, que é muito importante para o seu aprendizado, tem outro item que deve ser levado em consideração na hora de escolher o seu professor ou até mesmo sua escola…

Estou falando da naturalidade dessa pessoa. E o ideal é que o professor seja nativo do inglês.

Vou te explicar o motivo…

Sabe quando algumas pessoas viajam achando que o inglês delas está afiado e, chegando no país falante de inglês, não consegue entender uma palavra sequer? Isso acontece pois ela aprendeu inglês errado… Com a pronúncia errada!

E você pode achar que a pronúncia certa não é muito importante, mas é sim. Aprender a falar do jeito certo é muito importante, afinal de contas existem muitas palavras no inglês que se diferenciam exatamente pela pronúncia…

Então, na hora de escolher um professor ou uma escola para aprender inglês, escolha a que tiver professores nativos do inglês, ok?

A prática do inglês

Esse é outro ponto muito importante que algumas escolas tradicionais não dão tanta importância. A quantidade de vezes que você pratica inglês ao longo do seu dia, semana ou mês.

Não adianta você estudar a teoria do inglês duas horas por semana se você não praticá-la conversando com alguém, escrevendo uma mensagem ou até mesmo ouvindo uma música ou vendo um filme em inglês.

A prática também faz parte do aprendizado e é ela que vai te ajudar a perceber o quanto da fluência você já conquistou.

E até mesmo quando você está de férias dá para praticar o inglês, afinal de contas, quem não gosta de fazer novas amizades ou até mesmo relaxar vendo uma série? E aí já aproveita para fazer tudo isso em inglês.

Por isso, pratique sempre, todos os dias e todas as horas que puder. Nunca perca uma oportunidade de praticar o inglês, combinado?

Assim, você irá aprender inglês e se soltar muito mais rápido do que imagina.

Ter autoconhecimento sobre os canais de percepção

Você já viu que algumas pessoas aprendem mais fácil escrevendo um monte sobre o assunto? Outras aprendem mais fácil gravando o áudio e ouvindo depois novamente?

Essa diferença acontece pois algumas pessoas têm facilidade por aprender através de um canal de percepção diferente de outras pessoas.

Por isso, é muito importante saber qual é seu canal de percepção mais aguçado para então focar nessa forma de aprendizado.

Eu fiz um post falando sobre isso, vale a pena a leitura: Descubra Como Aprender Inglês do Seu Jeito e Mais Rápido.

Nele, eu citei os três canais de percepção (o visual, auditivo e cinestésico), como as pessoas de cada canal preferem estudar e dicas para aprimorar seus estudos a partir de cada canal de percepção.

O visual, por exemplo, gostam de ler, tem dificuldade em seguir instruções verbais, tem letra bonita, são melhores com rosto do que com nomes e etc.

Sendo assim, a melhor forma de aprender inglês é através de jogos de memória, flashcards, fazendo anotações, vendo vídeos e filmes.

Quer saber mais sobre esse canal ou os outros canais de percepção? É só dar uma lida no post:

Facilidade para aprender novas línguas

Tem muitas pessoas que aprendem uma nova língua com mais facilidade do que outras. Isso pode ser por causa da natureza delas, que já está preparada para isso normalmente; pode ser pelas experiências de vida dela e também por ela já ter aprendido outros idiomas.

Eu, por exemplo, depois de aprender 5 idiomas diferentes, tenho mais facilidade em aprender um novo idioma do que alguém que começou a estudar agora.

E isso acontece pois já aprendi a metodologia ideal para que eu seja fluente em um idioma. Por tanto, é só eu aplicar essa metodologia para todos os idiomas que eu quero aprender. 

O português, por exemplo, demorei 4 meses para ficar fluente. E tudo que eu podia, alterei para o português na minha vida. Assistia televisão, ouvia música, fazia novas amizades brasileiras, tudo voltado para o português.

Percebi que essa era a metodologia ideal de aprendizado para mim e apliquei ela para aprender os outros idiomas também. E pronto! Hoje aprendo todas essas línguas com mais facilidade.

A faixa etária também interfere

A gente sabe que um bebê aprende muito mais rápido do que um adulto, e não estou falando só de inglês. Para qualquer assunto é assim…

Então, quanto mais cedo tivermos contato com um novo idioma, mais fácil será para nós aprendermos esse idioma em questão.

Mas, não é só nesse quesito que a faixa etária interfere… Uma mãe de família, por exemplo, que trabalha o dia inteiro e ainda tem que cuidar dos filhos, provavelmente terá menos tempo para estudar inglês do que um adolescente que não tem tantas responsabilidades na vida.

E, como eu já disse antes, ter tempo disponível para estudar é muito importante.

Só que se você é mais uma das pessoas que diz não ter tempo para estudar, também não vale usar isso como desculpa para não aprender inglês.

Eu sempre compartilho aqui no blog várias dicas para te ajudar a aprender inglês sem ter que investir tanto do seu tempo, e também de uma maneira fácil e divertida.

Então, não tem desculpa para não praticar inglês, ok?

Se você é uma dessas pessoas, vou de novo te dar duas dicas de leitura:

Leia esses posts e não fuja do inglês, ok?

Revisão

Então chegou a hora de revisar o que a gente acabou de aprender…

Primeiro, um ponto muito importante é que não existe um tempo certo para ficar fluente em inglês, isso vai depender de muitos fatores.

E esses fatores são:

  • O quanto você já sabe do inglês
  • O tempo que você irá se dedicar para estudar inglês
  • A metodologia de ensino usada
  • A qualidade do professor que irá te conduzir nesse caminho
  • Quantas vezes no seu dia você irá praticar inglês
  • Conhecer quais são os seus canais de percepção primários
  • Facilidade para aprender novas línguas
  • Faixa etária

Mas, se você parar para analisar o quanto tempo você demorou para aprender um novo idioma, perceberá que esse tempo foi bem longo… Desde quando era criança até realmente começar a falar.

Por isso, não seja duro demais com você. Respeite seu tempo, seu sistema e sua forma de aprendizado.

Sempre pergunte para você mesmo se a forma de estudo está dando certo para você e, se perceber que tem algo errado, mude alguma coisa para perceber se agora dará certo.

E conte comigo nessa jornada, viu? Será um grande prazer te guiar nesse caminho cheio de alegrias e também de dificuldades, mas que no final vale muito a pena.

Ser fluente em inglês não é simplesmente falar uma nova língua, é poder conhecer o mundo e também ter novas oportunidades de trabalho. 

Afinal de contas a gente sabe que hoje em dia falar inglês não é mais um diferencial no mercado de trabalho, não é mesmo? É quase uma obrigação.

E, se você ficou empolgado com o post de hoje e quiser estudar um pouquinho mais, vou compartilhar com você mais algumas dicas de post para a sua leitura:

Vale a pena você dar uma lida nesses posts que preparei com muito carinho para você, ok?

Bom, por hoje é só isso. Se você gostou de todas as dicas que te passei, não esqueça de compartilhar esse post nas suas redes sociais e/ou até mesmo diretamente para aquele seu amigo que está entrando nessa jornada rumo à fluência de inglês com você.

E também não esqueça de comentar aqui no blog o que você achou de todos as dicas que compartilhei com você hoje nesse post… você acha que faz sentido? Vai aplicar isso no seu dia a dia?

Seu comentário é muito importante pra mim, me faz perceber que estou no caminho certo e me dá ainda mais energia para continuar compartilhando com vocês tudo o que sei.

Abraços e até mais!